História (pouco a pouco se completará)

 A popular Igreja de Santo António, junto à Sé de Lisboa, encontra-se no local da casa onde Santo António nasceu e viveu a sua infância.

A Cripta, local onde nasceu Santo António, e onde se pode venerar um pedaço de um dos ossos dos Santo, autenticado por Bula, com entrada pela sacristia é tudo o que resta da igreja original que foi destruída pelo terramoto de 1755. A nova igreja foi iniciada em 1757 sob a direcção de Mateus Vicente, arquitecto da Basílica da Estrela. A Igreja foi parcialmente paga pelas crianças que pediam "um tostãozinho para o Santo António e como podemos ver hoje o chão da capela está coberto de moedas, e as paredes exibem mensagens de devotos.

A fachada mistura o estilo Manuelino com as colunas jónicas neoclássicas de cada lado da entrada principal. No interior, na descida para a Cripta, local que assinala o lugar onde nasceu o Santo, um painel de azulejos modernos evoca a visita do Venerável Papa João Paulo II em 1982. Em 1995, a igreja foi restaurada para o 8º centenário do Santo.

Manda a tradição que os jovens que tencionam casar, no dia do casamento visitem a igreja e rezem e deixem flores ao Santo António, que é intercessor dos recém-casados.